Como Entender os Homens


Quanto mais você aprender sobre os homens e o poder que você tem sobre eles, mas fácil será para você conseguir o que quiser deles, inclusive a monogamia. Primeiramente, é necessário que você entenda o que é ser um homem e passe a vê‐los como pessoas de verdade.


Em nossa sociedade é socialmente aceitável para uma mulher “sentir”. Nós podemos chorar, nos derramar em lágrimas, fazer beicinho, ficar magoadas, ter medo de insetos, trovões e lugares escuros, não saber trocar pneu, etc. E quanto mais exemplos assim nós reunimos, mais “femininas” nos parecemos. Já os homens... pobres homens, estes não têm a permissão da sociedade para ser emotivo ou sensível, ou ter medo, ou ser incapaz de fazer as coisas.

Se um homem entrasse num clube, fosse correndo para a sua roda de amigos e começasse a chorar, a maioria das pessoas pensaria que há algo de muito errado com esse homem. Isto acontece porque não é permitido aos homens chorar, ter medo e nem mesmo “sentir”.










Imagine se nossa amiga "Paula" estivesse desempregada e quase sem dinheiro, nós não a julgaríamos mal se ela se casasse e deixasse seu marido sustentá‐la. Mas e se um homem desempregado que se casa por segurança? Ele não desfrutaria de muito respeito em nossa sociedade, já que acreditamos que os homens têm de trabalhar duro, produzir, prover e ser extremamente bem‐sucedido. Na verdade, tornamos a imagem desse homem tão forte que muitos deles hoje se sentem muito pouco confortáveis com o fato de uma mulher ser mais bem‐sucedida ou ganhar mais que eles. De acordo com a sociedade, e até mesmo de acordo com seus instintos primários, ele é quem deveria ser o provedor. Aposto que você já ouviu em algum momento a frase “mulher minha não trabalha fora” ou “me sinto culpado por ela ganhar mais do que eu”
.

Peguemos "Paula" novamente, ela pode fazer uso de suas artimanhas femininas para agarrar o homem que lhe interessa. Ela pode balançar um pouquinho a cinturinha e piscar os olhos e pronto! Um homem aparece instantaneamente para tomar conta dela. Mas o que um homem pode fazer para agarrar uma mulher? Ele pode fazer a mesma coisa que ela faz? É claro que não! Ele tem de provar que tem algum valor e que é um “homem” de verdade.

Ele tem de ser bem‐sucedido, forte e ser capaz de fazer uma mulher feliz. Você consegue imaginar como esse homem pode estar se sentindo sozinho? Eles foram ensinados a ser fortes e corajosos, a não chorar, a ser responsáveis e protegerem, a não reclamar, a morrer pelo país, a sustentar a família, a não sentir, a não precisar de ninguém, a não pedir ajuda e etc, isso sem levar em consideração que eles ainda precisam lidar conosco.

Apesar disso tudo, quando nós damos a eles permissão para serem reais? Eles devem se sentir extremamente isolados! Imagine a dor, a solidão e a insegurança que você iria sentir se fosse desafiada a ser um homem de repente. Os homens têm sido reprimidos pelos seus instintos e pela sociedade. Eles não se sentem confortáveis com a necessidade de amar e ser amado. Não apenas não se sentem confortáveis em expressar seu amor, como também algumas vezes eles mesmos não reconhecem o amor. Eles escondem seu coração, ou o renegam, escondidos debaixo de uma falsa aparência de indiferença.

Agora vem a “mulher”: “Por que você não muda?”; “Por que você se comporta assim?”; “Por que você não faz isso?”; “Por que você não é assim?”; “Por que você sempre faz isso?”; “Por que você penteia o cabelo assim?”; “Você não está usando isso, está?”; “Por que você nunca faz isso?”; “Eu queria que você fosse mais assim!”; “Se você não fizer isso por mim você é egoísta!”; “Um homem de verdade não faz isso que você fez.”; “Você não é mais o homem com quem eu casei.” Ironicamente, nós tentamos mudá‐los, depois reclamamos que eles “mudaram” e não são mais os homens com quem casamos!

No fundo, nossa intenção é a melhor possível. Afinal de contas, faz parte de nosso “instinto feminino” melhorar e criar. Nós cuidamos das crianças desde que são pequenas e desprotegidas e as transformamos em adultos completos. Pegamos uma carne crua e fazemos um banquete. Entramos em uma estrutura simples e a transformamos em um doce lar. O problema é que as mulheres bem‐intencionadas não sabem o momento de parar!

Um homem gosta que as coisas permaneçam do jeito que são. Ele se casa esperando que as coisas não mudem. Ele se sente mais amado quando é aceito e valorizado pelo que ele é,  da maneira que ele é! Então, seu objetivo principal é fazer sua mulher feliz. Nessa hora vem a mulher reclamando, incomodando, depreciando e ele acha que ela não está feliz. A infelicidade dela o faz se sentir um fracasso como homem! Afinal, ele acredita que é o dever do homem fazer uma mulher feliz, e se ela estiver reclamando é porque ele falhou na função dele.
O coração dele torna‐se ainda mais insensível e o amor que ele um dia sentiu desapareceu juntamente com a mulher linda e feminina com a qual ele pensou ter se casado. Quando isso acontece, a esposa está perguntando a si mesma: “Espere um pouco, o que aconteceu com aquele homem charmoso com quem eu me casei?” Ela passa a se sentir menos amada e, ironicamente, ela o culpa por isso. Ela ainda complica mais o problema acusando‐o de não dar atenção a ela, de estar emocionalmente distante, de estar sendo egoísta e não estar sendo um “homem de verdade”, ela pode chegar ao ponto de acusá‐lo de ter uma amante.

O homem que uma vez fora aberto e vulnerável a ela, agora se torna apático e impassível. Quanto mais isso acontece, maior é a possibilidade de uma parte, ou ambas, procurarem conforto em outros braços. Ele buscando amor e aceitação; ela à procura do homem maravilhoso que teve um dia, mas destruiu sem saber.


Quanto mais ela reclama, mais ele se sente desmoralizado. Este é o estágio onde a mulher despe este ser humano de sua masculinidade. Como ela faz isso? Bem, primeiro você precisa entender que um homem se mede de acordo com o sucesso que tem na carreira e a felicidade de sua mulher. Se ele não conseguir alcançar qualquer um desses objetivos principais, ele passa a sofrer em silêncio, algumas vezes apático, outras bebendo ou buscando uma “nova amante” que fará com que ele se sinta tendo sucesso novamente. 

Agora que você conhece a mente de um homem faça do modo oposto, não permite que pequenos obstáculos atrapalhem seu relacionamento ou seu próximo relacionamento.  

Leia também...
20 Dicas para Conquistar um Homem
Como Conquistar um Homem

9 comentários :

  1. Anônimo disse... :

    |Tudo bem, entendo que isso acontece, mais o que você me fala sobre o cara que parece que ta tudo bem no relacionamento, mesmo porque só tem dois meses que começaram a namorar, e praticamente todo fim de semana juntos, curtindo praticamente 24h aonde a mulher está, sendo que ele é extremamente ciumento de com quem ela fala, trabalha ou ta fazendo o que net, e do nada quando ele compra outro carro porque tinha perdido o anterior, e de acordo com ele perdeu os amigos juntos, um carro e ele muda, passa a não ir mais ver a namorada, saí toda noite e mentindo dizendo que tava em casa enquanto ela ta trabalhando e ele pelas noitadas, e na hora da cama nem disposição sexual tem, dando como desculpa que ta gripado, coisa que antes nem gripe e nem dor tirava sua disposição. Esse perfil não se encaixa na sua explicação, não acha? me ajude porque não consigo entender.

  1. Anônimo disse... :

    Amei tudo o que você escreveu! parabéns

  1. Anônimo disse... :

    Nossa muito legal, esclarecedor demais!
    De fato me judou a compreender muita coisa, tudo o que escreveu faz muito sentido.

    Adorei!

  1. Anônimo disse... :

    Amei, me ajudou muito...

  1. Anônimo disse... :

    Meu deus nunca li um texto tão perfeito... Parabéns

  1. Elizabeth disse... :

    Eu amei e texto, mas tenho uma dúvida, em alguns momentos eu me identifiquei com a mulher, exemplo no texto, mas ainda assim tenho atitudes diferentes eu mando vídeos legais, músicas legais, me interesso pelo dia a dia dele, sem ficar perguntando a cada 5 min onde e como está!!! Enfim percebi q ele tem se afastado q é mais o mesmo, quando nos conhecemos ele disse por cima q teve más experiências, mas como foi no primeiro encontro, não quis saber mais, ele sempre foi reservado, mas compartilhava algumas coisas, enfim preciso de um conselho, não sei oq teve fazer gosto dele e enfim toda ajuda é bem vinda!!! Me chamo elizabeth

  1. Anônimo disse... :

    sai com um cara a uma semana nos vimos só três vezes, transamos no segundo encontro e ele simplesmente sumiu e ate me bloqueou no whatsapp dele. O que faço me ajudem...

  1. Anônimo disse... :

    Elizabeth e Anônimo?
    Uma dica pra vocês. Dê spaço para seus companheiros. Cuidem e se preocupem quando notar que ele está perto de vcs com jeitinho de cachorro pidão... Aí vcs dão carinho, mima e demonstra o amor de vcs por eles...
    Mas fora isso. Sumam! Deixem ele procurar VCs. Mostra que vcs sabem lidar de forma madura. Deixa a lei da caça entrar em campo. Mesmo que doa , no início e tb incomode um pouco... Mas funciona!
    Parem de mandar MSG, parem de mostrar preocupação . aí eles vem igual um cachorrinho , manso, querendo marcar território, com medo de perder a mulher q tem nas mãos, ou tinha né ;)
    Bjks

Postar um comentário

Deixe seu comentário, terei prazer em ler.

 
;